Reflexões IV: fase final ou 100%

Concluído o desafio!!!!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

180 em 180.

Foi difícil?

Na verdade, em alguns momentos foi; principalmente neste último 1/4.

Por que?

Porque assim que estava para iniciar esta última fase, recebi uma notícia mais ou menos desconfortável (para ser bem educada) e tive certeza de outro fato também um pouco desconfortável (outra vez bem educadinha), que abalaram totalmente o que eu havia trabalhado tanto: voltar a ter sanidade para encarar o que tinha que encarar.

Notícias desconfortáveis bem no dia em que cheguei das férias, com as baterias renovadas. Hoje acredito que estavam renovadas para conseguir aguentar a carga pesada que veio com as novidades, porque pegou pesado para o meu ser.

Sai de mim por um momento, aí veio uma amiga para me chacoalhar e gritar: “Engole esse choro!”; e para outros eu tinha que fingir que tudo estava bem, e mandar mensagem de posição de normalidade. Gente, minha cabeça estava pirando, e eu, confesso, sai do ar…. fiquei dois dias completamente sem dormir. Liberei tanta adrenalina que até a dor que eu sentia em um dos meus dentes (que precisou de canal), sumiu e quando eu cheguei no dentista, após umas 12 horas das notícias, eu não lembrava de que lado doía.

Aí fiquei fora do ar um tempo, até que “a ficha caiu” e eu tive um dia totalmente “fora de mim”, e fiz coisas que não são minhas e escrevi coisas que não era eu (desculpe se você ler isso), e me consumi. Aí eu assustei. Não. Pára tudo que não sou eu. STOP!!!!

E os livros?

Até o meu momento “fora de mim” tudo estava fluindo, depois complicou. Passei dias sem conseguir abrir um livro, não conseguia ler ou fazer qualquer coisa. Modo automático. Dias duros e confusos.

Felizmente tenho amigas que se fizeram presentes e seguraram a minha onda (quanta mensagem no whats, quanto telefonema, quanto café, até karaokê, vixi…. coitados dos vizinhos!!!). Felizmente, parece que a energia trazia alguém nos meus dias de carência, de me sentindo a pior mulher do mundo, de que ninguém nunca mais vai me querer, e recebi carinho inesperado, elogio, ou telefonema.

Outros quiseram aproveitar do meu momento carente e, aviso: estar carente é diferente de ser burra!!!

Como diz a autora Nina Sankovitch, “a tristeza destrói a razão com violência, contra ela a razão não tem poder algum”.

E, com essa tristeza, e os livros? E o desafio?

Esta última fase foi dura. Sentar, me acomodar, me desligar de mim e entrar nas palavras e páginas não estava sendo fácil, mas eu fui insistindo, me empenhei, coloquei a determinação em primeiro plano e segui. Funcionou. Foi a etapa que exigiu mais de mim. Tive que fazer maratona de leitura para conseguir colocar a leitura em ordem, mesmo eu me sentindo mal fisicamente, mas eu conclui a fase.

Fiquei recordando como tudo teve início; era apenas o desejo de concluir um desafio, porque eu estava sentindo que não estava mais focada como antes, estava sempre começando ou planejando iniciar alguma coisa e nunca terminava, então, resolvi me impor um desafio, procurando algo que realmente me daria prazer em fazer e concluir. Ler.

Poucos dias depois, o desafio se tornou um foco para vencer um outro desafio, uma dor, e nos meses seguintes, como disse aí em cima, a coisa não se tornou mais fácil, ao contrário, as notícias não foram se amenizando. E foi a leitura, e a “viagem” nos livros e suas fantasias ou realidades, que me mantiveram sã em muitos momentos. Eu tinha que seguir e terminar/concluir esse desafio. A dor não poderia me vencer na reta final. Eu precisava me concentrar em buscar um “sprint” final.

Aí segui na literatura. Literatura para iluminar a minha escuridão, me dando um pouco de paz, afinal um livro não tem que fazer parte do cânone literário para trazer um pouco de luz e paz na vida de alguém, ele só tem que fazer diferença para o seu leitor, entreter o  seu leitor.

Desde o início das novidades pesadas, eu precisava buscar um espaço para me acomodar, para acomodar meus pensamentos, para acomodar a minha razão, para lembrar de quem sou e do que é importante para mim, além de ter um intervalo. Eu precisava mesmo de momentos de descanso, porque eu parei de dormir, eu parei de viver por um tempo, estava completamente perdida, tentando entender o que estava acontecendo, e quando me senti pronta, tive que recomeçar outra vez, pois novidades surgiram e eu me perdi de novo. E não tenho como mensurar quanto os livros me deram esse descanso. Quanto esse desafio me deu esse descanso, pelo simples fato de eu conseguir livrar minha mente dos meus problemas e focar no desafio e nas tramas.

Nossa vida se divide em momentos, esses momentos podem ser de alegria, mas também são de perda, de sofrimento, de dificuldade, nem sempre os momentos são bons; eu ainda acredito que, a maioria dos eventos e momentos são de neutralidade, os de felicidade são fugazes e os de dor são aqueles que acabamos por definir como o “antes” e “depois”, dividindo nossas fases de vida entre eles. Para algumas pessoas, nesses momentos, o mais importante é se apegar a um Deus, que eu não acredito, mas acreditem, eu sinto muita falta dele. Eu, me apeguei aos livros desta vez e funcionou. Tomara que eu não tenha que colocar outro desafio deste em minha vida por algum motivo parecido como tornou-se este!!!!

E hoje? Como estou?

Estou bem. Caminhando. Buscando (o quê?!?! Hummmm….ainda estou….. buscando). Com algumas certezas. A conclusão do desafio foi um momento de muita felicidade, de uma vitória, por mais que existam “coisas” de qualidade duvidosa no meio das obras lidas, ainda assim, fiquei muito feliz por concluí-lo. Claro que preferia só ter incluído obras máximas de autores máximos, mas, em muitos momentos, o que eu precisava era de muita distração, aquela distração “barata”, aquela distração “boba”, não filosofar, não meditar, não nada…. só viajar nas letrinhas!

E agora?

Acreditem, o desafio entrou tanto em mim que estou sentindo falta da “obrigação”, entendem? Claro que sigo lendo, diariamente, e claro, que virou hábito escrever sobre o que estou lendo (cada livro está com um papel de anotações dentro), mas estou brigando com a minha cabeça para não “cair na dela” da obrigação e, já comecei algumas daquelas obras que devido ao seu tamanho e/ou contexto não dava para incluir no desafio; claro que, além dessas, já terminei outras e, fico com tentação de sair incluindo o meu parecer neste blog (rsrsrsrs), mas não farei isso com vocês.

Em resumo: estou bem. Estou respeitando meu tempo. Estou me divertindo entre centenas de livros, entre dezenas de amigos e entre as surpresas que a vida nos traz, boas por favor!!!!!

“Uma palavra escrita é a mais fina das relíquias. É a obra de arte que mais se aproxima da vida. Os livros são o tesouro precioso do mundo e a digna herança das gerações e nações.” (Thoreau)

Obras desta última fase:

  1. Lições de amor e tolerância – Jane e Mimi Noland
  2. Felicidade, amor e amizade – Antoine de Saint-Exupèry
  3. Gratidão – Oliver Sacks
  4. As lições de Chico Xavier – Marcel Souto Maior
  5. Rubayat – Omar Khayyan
  6. Sejamos todos feministas – Chimamanda Hgozi Adichie
  7. Uma estadia no inferno – Arthur Rimbaud
  8. Confissão – Paula Pimenta
  9. Dilbert: pausa para o café – Scott Adams
  10. Quem mexeu no meu queijo? – Spencer Johnson
  11. O livro dos manuais – Paulo Coelho
  12. O evangelho segundo o filho – Norman Mailer
  13. Para querer bem – Manuel Bandeira
  14. A vida na porta da geladeira – Alice Kuipers
  15. Uma hora para viver, uma hora para amar – Richard e Kristine Carlson
  16. 007 – Encontro em Berlim – Ian Fleming
  17. O segredo de Brokeback Mountain – Annie Proulx
  18. Auto da compadecida – Ariano Suassuna
  19. A casa de Bernarda Alba – Federico García Lorca
  20. Santiago: caminhos imaginários – Gentil Corazza
  21. A longa noite sem lua – John Steinbeck
  22. Lady Susan – Jane Austen
  23. Histórias militares – Márcio Herdade
  24. Carmen – Prosper Mérimée
  25. Don´t look down on the defilements – Ashin Tejaniya
  26. O livro da areia – Jorge Luis Borges
  27. A botija – Clotilde Tavares
  28. Piano surdo – Olinda P. Gil
  29. Dia de folga: um conto de Natal – John Boyne
  30. Operação Galápagos – Luciana Savaget
  31. As três irmãs – Anton Tchekov
  32. Nietzsche para estressados – Allan Percy
  33. O corno de si mesmo – Marquês de Sade
  34. Cordel – Seu Lunga e outras histórias – Zé Jati
  35. Poemas escolhidos – Emily Dickinson
  36. As lições do mestre – Confúcio
  37. Não nascemos prontos – Mario Sergio Cortella
  38. O túnel – Ernesto Sabato
  39. Me ajude a chorar – Carpinejar
  40. O papel de parede amarelo – Charlotte Perkins Gilman
  41. O cavaleiro preso na armadura – Robert Fisher
  42. A desobediência civil – Henry David Thoreau
  43. Livre – Cheryl Strayed
  44. Fernão Capelo Gaivota – Richard Bach
  45. O ano da leitura mágica – Nina Sankovitch
Anúncios

3 comentários sobre “Reflexões IV: fase final ou 100%

  1. Ah minha querida …estou feliz por essa nova fase na sua sua vida !
    Sucesso é o que eu sempre desejo para você , sua inteligência , dedicação e capricho são marcas registradas …a vida nos colocou em caminhos diferentes mas não existe distância para o amor que mora no coração!!!
    Vou mostrar seu BLOG para minha filha que adora livros !!!
    Momentos difíceis são parte da vida e no final tiramos de letra!!! rss
    Saudades!!!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Não, não há distância no coração minha amiga. Você mora no meu há algum tempo, né?!?!? Rsrsrsrs….. vi que vc compartilhou o blog com alguns amigos. Fiquei envergonhada, mas agradeço. Saudade!!!

      Curtir

  2. OI! Rê…. Não é surpresa para mim de você ser consumidora de livros. A leitura sempre fez parte de você. Fico muito feliz de você se expressar num blog seu conhecimento e sua leitura. Tempos difíceis as vezes aparecem em nossa vidas sem dar aviso prévio e nos deixa fora de si, passei por isso e digo hoje que amadureci muito com essa experiencia, que no fundo não gostaria que minguem passasse, mas como para cada pessoa é de alguma forma de aprendizado, tudo é válido nesta vida. Minha amiga, faz tempo que não nos encontramos, mas esteja certa que apesar de uma rotina louca, estou aqui e sempre tenho tempo para um café e carinho. Venha e vamos colocar as fofocas em dia. Beijos e Sucesso sempre.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s